DICAS

A diferença essencial está na quantidade de nutrientes e na presença de fibras da farinha integral. A farinha branca passa por um processo de refinamento que elimina grande parte de seus nutrientes. A farinha integral, por outro lado, não passa por esse processo e preserva seus nutrientes, que incluem proteínas, minerais, vitaminas e fibras.

Como a farinha integral tem em sua composição as fibras, as pessoas que apresentam constipação (promove o bom funcionamento intestinal), desejam a perda de peso (aumenta a saciedade) e apresentam aumento nos níveis de colesterol e diabetes (reduz os níveis de colesterol e de glicose no sangue) devem consumir a farinha integral.

A farinha integral tem diversos benefícios quando comparada a farinha branca, confira alguns deles:

1. Combate o acúmulo de gordura abdominal e diminui os riscos de doenças cardíacas.

2. Não causa picos de insulina como a farinha branca. A farinha branca tem digestão muito rápida e causa uma liberação quase que instantânea da glicose na corrente sanguínea – o que leva a uma liberação de insulina e uma subsequente queda nos níveis de glicose. Essa queda sinaliza ao cérebro que é necessário consumir mais açúcar para estabilizar os níveis de glicose.
Alimentos integrais possuem digestão mais lenta, que permite uma liberação gradual de açúcar no sangue e não causa essas variações bruscas na glicemia, impedindo um aumento do apetite. Essa propriedade da farinha integral impede também a liberação excessiva de insulina, hormônio que reduz o metabolismo e estimula o corpo a estocar energia na forma de gordura.

3. Regulariza o intestino. Como é pobre em fibras, a farinha branca se compacta, dificultando a passagem de alimentos e desacelerando a eliminação dos resíduos alimentares. Além do desconforto da prisão de ventre, a permanência desses resíduos no intestino pode levar à formação de inflamações e substâncias tóxicas, que além de mau humor ainda causam dores de cabeça e podem resultar no aparecimento de câncer de cólon.
Como contém fibras, mais um dos benefícios da farinha de trigo integral é absorver uma quantidade maior de água, o que facilita a passagem do bolo alimentar e previne a constipação e reduz a formação de inflamações.

4. É fonte de nutrientes importantes. Além das fibras, a farinha de trigo integral também fornece boas quantidades de cálcio, ferro, vitaminas do Complexo B e das vitaminas K e E. Uma única xícara de farinha de trigo integral é suficiente para fornecer quase 26% das nossas necessidades diárias de ferro, 14% do potássio e 121% do que necessitamos de selênio.
Além de atuarem no metabolismo, esses nutrientes são essenciais para acelerar a regeneração muscular e evitar o acúmulo de gordura por deficiência do metabolismo.

5. Libera a glicose (energia) de maneira gradual. Já imaginou começar a correr e ficar sem energia nenhuma antes da metade da corrida? Isso pode ocorrer se você consumir alimentos ricos em carboidratos refinados, como a batata e o pão branco, por exemplo. Já o consumo de pão feito com farinha integral irá garantir que você tenha uma quantidade estabilizada de energia durante todo o exercício (é claro que isso irá depender da duração e intensidade da atividade).

6. Pode ser uma aliada do emagrecimento e da manutenção do peso. As fibras ajudam a manter a saciedade por mais tempo, reduzindo a quantidade de alimentos ingeridos ao longo do dia. As fibras também estabilizam a glicose, garantindo que você não sinta fome pouco tempo após ter se alimentado.

7. É fonte de triptofano e vitamina B6, dois precursores da serotonina, um neurotransmissor que atua no controle do apetite e melhora o humor e causa uma sensação de bem estar. A deficiência de serotonina pode causar mau humor, depressão, estresse e maior compulsão por alimentos ricos em carboidratos (doces). Portanto, os benefícios da farinha de trigo integral podem ajudá-lo a se manter mais disposto e com menos vontade de comer guloseimas.

8. Contém betaína, um aminoácido que pode auxiliar no ganho de massa muscular e também reduzir as inflamações crônicas. Pesquisas indicam que pessoas que consomem dietas ricas em betaína chegam a apresentar níveis até 20% menores de inflamação do que aqueles que não têm o hábito de ingerir o aminoácido.

Fonte: Grupo Natural da Terra